Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina

13 de set de 2010

Para que lado, eu vou? Vestibular e carreira


A vida escolar dos jovens é totalmente levada sem muita preocupação. Até quando a maioria dos alunos, entram no último ano do ensino médio e começam a se preparar para a competitiva corrida dos vestibulares. Sejam as provas feitas em suas cidades de origem ou em outras as quais o estudante necessite se deslocar para realizar o exame.
 O grande drama sofrido pelo aluno, não é apenas ter de fazer a ‘famosa’ prova, mas sim, qual carreira realmente deve seguir. Vale destacar que as faculdades e/ou universidades(privadas ou não), estão se desterritorializando, ou seja não estão mais ficando apenas nas capitais, forçando os alunos do interior a sair de sua terra. Mas agora, estão se deslocando para as cidades do interior(as bem desenvolvidas), com a política de criação de campus para fora das capitais.
Só que “as pessoas das regiões interioranas, ainda não tem consciência da universidade, dos seus cursos ou da vontade de ter um curso superior.” Afirma Tarciana Almeida, psicóloga e professora do curso de Psicologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco(UNIVASF). Ao reforçar a idéia de que a maioria dos jovens do interior, por não se sentirem preparados ou desconhecerem o ensino superior, apenas se formam no ensino médio e seguem direto para o mercado de trabalho, sem nenhuma qualificação.
Isto ainda acontece na realidade vivida pelo jovem brasileiro. Entretanto, com o aumento da renda familiar e da proliferação de faculdades e universidades, a situação começa a se diferenciar. Pois na maioria dos casos, além de estar ocorrendo o movimento inverso, ou seja, os estudantes das capitais estarem se deslocando para o interior, aumentando assim a concorrência; os estudantes do interior se sentem mais à vontade para tentar uma vaga do ensino superior na sua cidade.
Da mesma forma, os alunos que ainda não se definiram qual profissão seguir, encontram problemas na hora de uma boa escolha. “É extremamente importante a decisão da escolha de uma profissão, porque ajuda o jovem a definir além de uma carreira, a definir sua vida, num futuro bem próximo.”, ressalta Umarac da Nóbrega, professor do curso de Administração da UNIVASF.
Confirmando que pelo fato de os jovens não terem uma decisão tomada, podem vir a sofrer influência ao se decidir, pelo meio social em que vivem, por seus pais, parentes próximos e/ou amigos. Outro fator que ajuda para esta indecisão são as novas tecnologias. Muitas acabam por criar variados estereótipos em algumas profissões, exemplificando, as consideradas mais remuneráveis: Medicina, Direito e Engenharias.
A jovem aluna Nadine Gomes, 18 anos, do terceiro ano do ensino médio, do Colégio da Polícia Militar da Bahia, na cidade de Juazeiro, afirma que esta decidida a fazer os cursos de Psicologia e Jornalismo, em faculdades federais e estaduais. “Além da vontade própria, fiz pesquisas e também tive a influência e o incentivo de amigos.” ressalta. Já Flávia Gomes, 16 anos, estudante de terceiro ano do Colégio Geo-Juazeiro, decidiu prestar vestibular para o curso de Medicina, pela sua própria vontade e por ser um sonho de criança.
“Decidi ser engenheiro civil, porque eu quis, pois, se dependesse dos meus pais eu seria outra coisa, como Policial Civil.”, comenta Everton Antonio da Silva, 15 anos, estudante da Escola Rui Barbosa, ao ser questionado pela sua escolha profissional e ainda afirma que a questão de mercado teve peso importante na sua decisão.
“Logo, o indivíduo deve se conhecer e conhecer a realidade profissional que quer ou deseja.”, defende Tarciana Almeida, psicóloga e professora do curso de Psicologia da UNIVASF, mostrando que o jovem deve sim tomar uma decisão, que seja apenas sua e não influenciada por ninguém e que para isso, ele deve buscar orientação especializada, fazer testes vocacionais e conhecer os benefícios e malefícios de sua futura profissão.

                                                    Por Emaísa Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário